Talvez você já saiba: faz um bom tempo que a caderneta de poupança deixou de ser uma opção rentável para aplicar as suas economias. Afinal, o rendimento dela está abaixo da inflação, o que faz com que o seu dinheiro perca o poder de compra. Sendo assim, o Tesouro Direto vem se tornando a opção favorita da maioria dos brasileiros.

Essa modalidade de investimento é uma das opções mais seguras, pois oferece um rendimento superior ao da poupança e porque o governo é um bom pagador. Existem diferentes tipos de títulos e cada um possui características e particularidades específicas, que vão determinar a sua rentabilidade e o seu sucesso como investidor.

Você sabe quais são os tipos de tesouro direto e qual deles é o mais adequado para você? Continue a leitura deste artigo e descubra!

Títulos prefixados

O Tesouro Direto contempla algumas opções de títulos prefixados. Ao investir nessa modalidade, o investidor saberá exatamente qual será a sua rentabilidade, se mantiver o seu dinheiro aplicado até a data de vencimento do título.

Os rendimentos dos títulos prefixados são chamados de rendimentos nominais. Essa denominação significa que é necessário descontar a variação da inflação para descobrir a rentabilidade do investimento. Existem duas opções de títulos prefixados: Tesouro prefixado (LTN) e Tesouro prefixado com juros semanais (NTN-F). Veja mais:

Tesouro prefixado (LTN)

O Tesouro prefixado (LTN — Letras do Tesouro Nacional) é uma opção na qual o investidor receberá um valor fixo pelo montante investido. É válido destacar que esse valor será pago somente no dia do vencimento do título.

Caso o investidor decida retirar o dinheiro antes do vencimento, a rentabilidade será calculada de acordo com o mercado. Dessa forma, ela pode ser maior ou menor do que a rentabilidade contratada. Portanto, o ideal é aguardar o vencimento do título para realizar a retirada do dinheiro, buscando obter a maior rentabilidade possível.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

Como o próprio nome diz, essa modalidade oferece o pagamento de juros semestrais sobre o montante investido baseado nas Notas do Tesouro Nacional, série F (NTN-F). Esse tipo de título é muito utilizado para a complementação da renda.

O funcionamento desse título é similar ao Tesouro prefixado (LTN), uma vez que os valores pagos são proporcionais ao valor investido, acrescido de uma rentabilidade previamente contratada.

A desvantagem dessa opção é que há incidência do imposto de renda a cada recebimento semestral. Assim, se você deseja reinvestir parte do seu dinheiro, é interessante buscar por opções mais vantajosas.

Títulos pós-fixados

Os títulos pós-fixados são aqueles que possuem sua rentabilidade constituída por uma taxa definida no momento da compra e pela variação de indexadores. Os indexadores utilizados no Tesouro Direto são a taxa básica de juros da economia (Selic) ou a inflação (IPCA).

Entre as opções de títulos pós-fixados temos o Tesouro Selic (LTF), Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal).

Tesouro Selic (LTF)

O Tesouro Selic (LTF — Letras Financeiras do Tesouro) possui seus rendimentos indexados à taxa Selic. Essa opção é considerada conservadora, pois em caso de venda antecipada as perdas serão pequenas devido às baixas variações do seu valor de mercado.

O pagamento não é realizado semestralmente, o que torna o Tesouro Selic interessante para quem pode esperar a data de vencimento da aplicação. No entanto, como já citamos, caso seja necessário antecipar o valor a receber, o Tesouro Nacional pagará o valor de mercado, evitando que o dinheiro dos investidores perca seu valor de compra.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)

O rendimento dessa opção de título do Tesouro Direto pode ser dividido em duas parcelas: uma taxa de juros prefixada e a variação da inflação (IPCA — Índice nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Assim, independentemente da variação da inflação, a rentabilidade do título será superior — o que faz dessa uma excelente opção de investimento. Pode-se afirmar, inclusive, que essa alternativa assegura o aumento do poder de compra do dinheiro do investidor (rentabilidade real).

Porém, assim como ocorre com os títulos prefixados, essa opção realiza pagamentos semestrais — ou seja, há incidência do imposto de renda a cada seis meses. Portanto, reinvestir a lucratividade desse título não é uma boa alternativa.

Se for necessário vender o título antes do vencimento, o valor a ser pago será o valor de mercado, o que pode ser mais vantajoso ou não. É válido avaliar as opções e as suas necessidades, mas, na maior parte das vezes, aguardar a data de vencimento é a melhor opção.

Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal)

A última opção é o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal — Notas do Tesouro Nacional, série B, Principal), que também possibilita a rentabilidade real devido à decomposição do seu rendimento (Taxa de juros prefixada e variação da inflação — IPCA).

A grande diferença entre essa opção e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B) é que seu fluxo de pagamento é simples. O investidor receberá o valor devido no vencimento do título ou quando solicitar o resgate.

Essas peculiaridades fazem com que essa opção seja ideal para quem deseja investir para a aposentadoria ou para usos futuros, como a compra de uma casa ou o pagamento dos estudos dos filhos.

Como escolher o melhor tipo de título direto

Para definir a melhor opção é necessário determinar alguns pontos. Primeiramente, o investidor deve delimitar qual é o objetivo do investimento, buscando decidir se o investimento será de curto ou longo prazo.

É interessante também que você tenha conhecimento do seu perfil de investidor. Dessa maneira, você saberá exatamente quais riscos estará disposto a suportar e quais as melhores opções de investimento no mercado.

Vale lembrar, contudo, que você não deve investir todo o seu dinheiro em uma única opção. A diversificação é uma das receitas de sucesso dos grandes investidores. Além disso, não se esqueça de ter uma reserva financeira de emergência! Assim você evita que você precise solicitar o pagamento dos títulos antes da data de vencimento.

O site do Tesouro Direto pode lhe ajudar a escolher em qual modalidade investir. Há uma ferramenta que, por meio de algumas perguntas sobre os seus objetivos, seu horizonte de aplicação e a sua tolerância aos riscos mostrará qual é a melhor opção para você.

Apesar de todas essas dias, tomar essa decisão sozinho não será nada fácil. Por isso, é ideal que você conte com a ajuda de especialistas no assunto, evitando erros que possam se transformar em prejuízos imensos.

Existem empresas no mercado que trabalham com uma assessoria em investimentos: elas ajudam você a investir da melhor forma, seguindo o seu perfil de investidor e permitindo que você entenda tudo sobre investimentos antes de fazer suas escolhas.

Investir no Tesouro Direto exigirá certo conhecimento e preparo. Ele é um pouco mais trabalhoso do que a poupança, mas a sua rentabilidade é compensatória. Não perca tempo e seja um investidor do Tesouro Direto o mais rápido possível.

E aí, gostou do nosso artigo e de conhecer os tipos de títulos do tesouro direto? Interessou-se pelo assunto? Então, assine nosso newsletter e não perca nenhum dos nossos conteúdos.

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais:

banner-barra-artigo-2017-03-conhece-a-messem