Não existe um cálculo exato capaz de definir o sucesso de um investidor. Na verdade, bons resultados no mundo dos investimentos dependem de certos atributos, como conhecimento técnico e certo tino para identificar oportunidades promissoras.

Nesse contexto, um assessor de investimentos pode ser de grande valia, especialmente para evitar erros, por ser um profissional dotado dos atributos mencionados e que também é capaz de combinar a competência analítica, conhecimento fiscal abrangente e bom trato interpessoal com o cliente — de forma a sempre auxiliá-lo na definição dos seus objetivos financeiros.

Contar com uma assessoria em investimentos é uma decisão estratégica, pois fortalece a formulação de um plano de aplicações mais efetivo e lógico, além, claro, de somar experiências.

E então, está pensando em contratar um assessor de investimentos, mas tem dúvidas se essa é uma boa ideia? O post de hoje vai ajudar a acabar com esse dilema. A seguir, esclareceremos como um assessor pode lhe ajudar a obter melhores resultados nos seus investimentos e, ainda, mostrar como identificar um profissional sério e alinhado com suas necessidades. Acompanhe!

O que é um assessor de investimentos?

Inicialmente, vamos entender o que se deve esperar de um assessor de investimentos. Em primeiro lugar, esse profissional deve ter um conhecimento prático e técnico para avaliar as necessidades e objetivos do cliente, a fim de apresentar estratégias de investimentos adequadas ao seu perfil.

Um bom assessor deve saber avaliar, com a mesma importância, tanto as nuances dos ativos financeiros quanto as características do cliente. A partir dessa análise, ele saberá orientá-lo em suas decisões, com o propósito de montar uma carteira composta de produtos que se ajustam aos objetivos do investidor.

A principal característica de um assessor de confiança deve ser a imparcialidade. Um profissional sério não tenta induzir o cliente a aquisição de ativos que não condizem com as necessidades dele. Pelo contrário, o bom assessor estuda o mercado e aconselha o investidor a fazer suas aplicações com segurança, garantindo a rentabilidade esperada no prazo estabelecido.

É importante ressaltar que um assessor é um especialista em investimentos. Ou seja, ele conhece muito bem o mercado financeiro e sabe identificar as melhores oportunidades de aplicação, para que o investidor possa explorá-las ao máximo e, assim, fazer seu dinheiro render muito mais.

Como um assessor pode me ajudar?

O assessor de investimentos pode ofertar serviços diferenciados, ajudando de várias formas o investidor. Vejamos algumas delas, que também servem como exemplo dos benefícios da contratação desse profissional:

Educando

Uma das primeiras tarefas de um assessor de investimentos é discutir as metas financeiras dos clientes e educá-los sobre as várias maneiras de realizá-las. Isso inclui dar uma visão geral dos diferentes tipos de investimentos, de forma a diluir os riscos e explicar como cada um pode beneficiar ou dificultar seus objetivos como cliente.

Nesse contexto, o assessor também entende os elementos que compõem a sua renda, como salário e possíveis patrimônios, e estuda como pode oferecer a você a ajuda necessária para aprimorar esses recursos.

Em outras palavras, o assessor é o profissional que faz uma verdadeira compatibilização das características do investidor com os diversos ativos disponíveis. Afinal, existem diferentes tipos de aplicações, para todos os bolsos e perfis de agressividade — sobre isso falaremos a seguir.

Determinando tolerância de riscos

Aqui, o foco é ajudar os clientes a avaliar o quão agressivos eles podem ser com os seus investimentos e o nível de risco que podem suportar. O assessor deve considerar seus objetivos fundamentais de longo, médio e curto prazo — como garantir a educação dos filhos, planejar uma aposentadoria sólida e manter um padrão de vida — a fim de proporcionar uma maior estabilidade e segurança ao patrimônio do assessorado.

Não bastasse, esse profissional também faz avaliações de risco externos, isto é, das variáveis que você não é capaz de controlar, como envelhecimento, problemas de saúde, desemprego e até um falecimento precoce. Tudo isso, para lhe ajudar a manter a sua tranquilidade e a da sua família.

Dessa forma, ele pode estabelecer estratégias — a exemplo da alocação de ativos — que possibilitem que você alcance suas metas, mas sem pôr em xeque a sua saúde financeira. É nessa etapa que o seu perfil de investidor é estruturado e, a partir dele, o assessor poderá fazer as melhores recomendações a você.

Analisando opções de investimento

Uma vez que os assessores de investimentos estabelecem metas e necessidades do cliente, eles devem pesquisar e analisar aplicações, estratégias e condições de mercado para determinar qual é a opção mais viável e vantajosa para os seus anseios financeiros enquanto investidor.

Um profissional qualificado deve estar a par das tendências, indicadores e notícias do mercado financeiro, para garantir que as oscilações comuns do setor interfiram o mínimo possível na sua carteira.

Otimizando seus investimentos

Caso você já tenha uma carteira de investimentos, o assessor vai analisá-la e, tão logo identifique possíveis falhas, trabalhará para que os riscos e ineficiências sejam reduzidos ao máximo.

Para otimizar a sua carteira, o profissional pode mudar a composição de ativos de forma a deixá-la mais diversificada, com características que se complementam e garantam a segurança de que você precisa.

Pode também alocá-los de maneira diversa, sem necessariamente eliminar um ou outro, por exemplo, com o intuito de reduzir e compensar eventuais perdas entre um investimento e outro. Ressaltamos que essa é uma prática bastante comum e eficiente no mercado.

De modo geral, o uso de uma metodologia técnica e objetiva pode ser a melhor maneira de montar uma carteira eficiente e que se encaixe nas suas necessidades. Estar atento às diuturnas mudanças da economia também é uma medida essencial para isso, mas que, talvez, sem o auxílio de um assessor, seja bastante difícil.

Acompanhando de perto suas atividades

O trabalho de um bom assessor não termina quando ele monta uma carteira diversificada e a recomenda a um cliente. É necessário que ele continue com um acompanhamento periódico e com revisões de ativos constantes para oferecer o melhor serviço.

Por exemplo: o assessor pode sugerir que você venda produtos que estão bastante valorizados — a fim de obter grandes ganhos — e que compre um pouco mais dos que se valorizaram pouco — com o propósito de voltar à configuração de carteira planejada inicialmente.

Ao manter um contato constante com o cliente, o assessor pode entender se o seu perfil de investidor mudou com o tempo e pode seguir sempre indicando os ativos mais adequados. Além disso, pode acompanhar os seus avanços patrimoniais, podendo, assim, recomendar outros tipos de investimentos — por exemplo, os de longo prazo.

Assessor de investimentos ou gerente do banco: qual deles pode me ajudar mais?

Algumas pessoas optam por fazer investimentos baseados nas orientações dos gerentes bancários. Embora forneçam alternativas semelhantes, os assessores de investimentos financeiros podem oferecer serviços diferentes, além de uma experiência singular que conta muito.

Gerentes bancários estão vinculados a produtos de sua empresa e geralmente têm que conciliar os interesses do cliente com os do banco. Isso significa que podem indicar algum plano ou produto que seja mais condizente com os interesses do banco do que propriamente com os do cliente.

Caso você esteja interessado em investir em um fundo mútuo, por exemplo, é bem provável que o gerente só será capaz de recomendar os produtos ofertados pelo banco. Dificilmente um gerente sentará com você e o perguntará sobre suas metas financeiras, como você pretende garantir o futuro da sua família e quanto planeja ganhar com lucros.

Ele simplesmente lhe oferecerá o investimento que mais gera rendimentos para a instituição. Ou seja, o papel de um gerente não é se preocupar com a sua educação financeira, mas, sim, lhe oferecer produtos já selecionados pela sua empresa.

Em contrapartida, os assessores já são profissionais especializados e que têm um compromisso exclusivo com o interesse do cliente — no caso, você. O objetivo imediato desse profissional é proporcionar um atendimento personalizado e exclusivo.

Assessores podem fazer comparações entre as taxas das instituições financeiras e oferecer a você as melhores soluções, sempre de forma transparente e, mais que isso, imparcial e desvinculada de interesses de instituições financeiras.

O interesse dos assessores não está atrelado a vender a maior quantidade de produtos que a empresa predeterminou, mas, sim, ajudar você a encontrar os melhores ativos para investir. Afinal, o sucesso profissional de um assessor depende dos resultados obtidos com seus clientes.

Quais as perguntas-chave a se fazer para o assessor financeiro?

É comum se esquecer ou não saber exatamente o que perguntar na hora de encontrar o melhor assessor para seus investimentos. Portanto, seguindo as orientações seguintes, as suas chances de escolher um profissional qualificado e capaz de ajudar você a melhorar seus resultados é muito maior. Vejamos o que não se deve deixar de questionar:

Como meu plano financeiro está organizado?

Certifique-se de que a informação apresentada no planejamento definido para você seja útil e organizada. Um assessor de investimentos financeiro não será eficaz se você não entender os seus conselhos.

É preciso que ele traduza todas as informações para uma linguagem que você seja capaz de compreender. Isso facilitará a comunicação e fortalecerá a confiança, já que não tomará decisões estando com dúvidas.

Como os serviços são cobrados?

É importante entender como é a compensação. Isso vai ajudá-lo a identificar quaisquer potenciais conflitos de interesse ou vieses. Esse é um passo que influencia bastante na hora de escolher o melhor assessor.

Que licenças, credenciais e designações você possui?

Com isso, você saberá o tipo de educação e conhecimento técnico envolvido, bem como a legalidade das operações. Os profissionais que dão recomendações para clientes precisam estar registrados e ter certificações — aqueles que não possuem podem estar agindo de má-fé.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é a entidade responsável por certificar consultores de investimentos — profissionais que recomendam aplicações — e administradores de carteiras — pessoas que podem não só recomendar, mas que também têm autonomia para manipular o dinheiro dos clientes sem consulta prévia.

Nesse ponto, uma recomendação importante é verificar se o seu assessor de investimentos está devidamente credenciado junto à CVM para exercer essa atividade. Para isso, basta realizar a consulta pela própria página do órgão.

Vale lembrar que o Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCP) concede aos planejadores financeiros — aqueles que apenas planejam finanças sem fazer recomendações de ativos -— a certificação chamada de CFP (Certified Financial Planner).

Quanto tempo de experiência você tem?

Experiência é uma virtude. Para manter o seu dinheiro seguro, é importante escolher um assessor de investimentos experiente e, de preferência, que já tenha um domínio mais abrangente sobre a atividade.

Busque profissionais e empresas reconhecidamente idôneas, que tenham o know-how e expertise no assunto. Certamente estará servido de assessores competentes e capazes de somar aos seus objetivos enquanto investidor.

Quais são as suas especialidades?

Se possível, encontre um consultor especializado em pessoas como você. É sempre benéfico consultar alguém que tenha experiência em trabalhar com situações semelhantes às suas.

Caso você tenha um menor valor de ativos e trabalhe com um consultor especializado em clientes de elevado patrimônio líquido, é possível que você não obtenha os conselhos de que precisa e nem tenha os retornos esperados.

Outro ponto a considerar é se o assessor de investimentos terá disponibilidade para utilizar do tempo dele com você da maneira como merece. Investidores iniciantes, certamente demandam um acompanhamento mais próximo e auxílio contínuo para desenvolver bons atributos e se sentir mais à vontade com o mercado de investimentos.

Como é sua forma de trabalho e com que frequência faremos contato?

É importante estar na mesma sintonia que o seu futuro planejador financeiro. Se você está ocupado e não pode colocar muito tempo em suas finanças, um conselheiro que deseja reunir-se com você a cada semana pode ser uma má escolha.

Além disso, o planejamento financeiro deve ser baseado no estilo de vida global e no nível de tolerância ao risco, a fim de prestar assessoria personalizada e desenvolver planos financeiros eficazes para atender aos seus objetivos financeiros não só em termos técnicos, mas também pessoais.

A verdade é que o mercado de investimentos é enorme, logo, existe uma quantidade muito grande de possibilidades de aplicações. Porém, conforme essas oportunidades aumentam, crescem também a insegurança e as dificuldades dos investidores em escolher as melhores oportunidades.

Por isso, contar com um assessor de investimentos que se preocupe com suas metas é, sem dúvidas, uma opção inteligente para você cuidar do seu patrimônio e otimizar os seus rendimentos.

Então, está convencido dos benefícios que um assessor de investimentos pode trazer para a sua vida financeira? Deseja aprender mais sobre o universo dos investimentos? Assine a nossa newsletter e receba os conteúdos mais relevantes diretamente na sua caixa de entrada!

 

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais: