A riqueza proporciona a tão sonhada liberdade financeira e tudo o que ela pode oferecer: tranquilidade, paz, realização e felicidade. No entanto, os conceitos de riqueza podem variar de cultura para cultura.

Ficar rico em algum país da África é alimentar uma família de cinco pessoas todos os dias. Por outro lado, nos EUA, uma família de 5 indivíduos pode achar uma casa de 12 quartos pequena. Você também tem o sonho de ficar rico (e o que isso representa no Brasil)? Está disposto a se comprometer com esse ideal?

Veja, no artigo de hoje, os erros fatais que podem atrapalhar o seu sonho!

1. Não ter a mentalidade de produtor

Na maioria dos casos, as pessoas não enriquecem porque não conseguem fazer uma mudança importante: deixar de serem apenas consumidoras. Para enriquecer, você deve ser produtor também.

Isso significa que você deve investir para que o seu dinheiro produza e renda frutos. Note que todo milionário é um produtor. O objetivo global de um produtor não é só comer, ele trabalha para alimentar as pessoas. Obviamente, os produtores devem consumir em algum momento, mas esse não é seu objetivo principal.

2. Não procurar fornecer um produto ou serviço valioso para as pessoas

Se algumas pessoas estão fornecendo cirurgias cardíacas, escrevendo os livros mais vendidos ou construindo imensos arranha-céus é porque eles aprenderam a criar produtos e serviços para ajudar as pessoas ao seu redor. A consequência é que elas ganham dinheiro com isso!

Caso estude de perto os milionários, você verá que quase todos eles fornecem um produto ou serviço valioso para milhões de indivíduos. Quando adotar uma mentalidade similar a essa, isso significa que você poderá ficar rico também.

3. Não conhecer o valor da sua diária

Quanto você vale por dia? Você já calculou o seu valor diário? São R$ 100? R$ 500? R$ 1.000? Existem, aproximadamente, 250 dias de trabalho em um ano. Para ser um milionário, você precisaria ganhar R$ 4.000 por dia — assim você atingiria a marca de um milhão de reais a cada ano.

Se você está ganhando R$ 100 por dia, então em um ano consegue fazer R$ 25 mil. Para começar, você deve tentar dobrar esse valor.

4. Esquecer-se de melhorar sempre

Se você não quer ficar estacionado em um número, busque maneiras de aperfeiçoar-se, de melhorar o seu trabalho e de aplicar o seu dinheiro fazendo ele trabalhar por você. O que você está fazendo para melhorar a sua taxa diária?

Caso você esteja à procura de um novo emprego, envie o dobro de currículos. Se você estiver fazendo 10 chamadas de vendas por dia, duplique o seu número para 20.

5. Não fazer sacrifícios para ficar rico

A maior parte das pessoas tem medo de fazer sacrifícios porque pensa que perderá alguma coisa. Uma mãe, por exemplo, pode deixar de comprar um livro de R$ 20 que pode ajudá-la a ganhar R$ 20 mil. Essa mesma mãe é capaz de comprar um jogo de videogame para o filho (que custa o dobro do livro) para fazê-lo feliz, mas tem medo de investir em si.

Saiba, então, que muitas vezes você terá que adiar uma gratificação imediata para se concentrar em um objetivo maior.

6. Não fazer atividades de pessoas ricas

Muitas pessoas aceitam e toleram ambientes e condições negativas. Descubra como participar de atividades que envolvam indivíduos que respiram prosperidade.

Eventos beneficentes, por exemplo, são ótimos para fazer novas amizades. Procure frequentar locais onde as boas ideias e projetos fluem, busque riqueza de alma e faça contatos com pessoas que estejam em sintonia com você.

7. Não usar os seus dons

Todo mundo é naturalmente dotado e possui alguma habilidade que o diferencia dos demais. Você deve, portanto, perceber quais são os seus dons e usá-los ao seu favor. Encontrar seus talentos e habilidades pode ser difícil.

Muitas pessoas perdem a conexão consigo mesmas por causa das pressões financeiras e sociais do dia a dia. As pessoas podem, inclusive, minimizar-se ou permitir que outros o façam. No entanto, você deve se valorizar e cercar-se de indivíduos que o apoiam.

8. Não ter anotações da vida financeira

A organização das suas finanças é extremamente importante: seus gastos devem ser colocados no papel. Somente entendendo bem seus fluxos de recursos você será capaz de controlar seu dinheiro.

O ótimo controle da situação financeira deverá começar com anotações de todas as suas despesas — até mesmo os seus pequenos gastos — e de tudo aquilo que está você devendo. Esse acompanhamento pode ser diário, semanal ou mensal.

Assim, você saberá exatamente o destino do seu dinheiro e como redirecioná-lo melhor. Por isso, tente cortar os supérfluos, não desperdice dinheiro, negocie a anuidade do seu cartão e as taxas do seu banco. Não ter controle é um grande obstáculo para quem quer ficar rico.

9. Não pensar em longo prazo

Analisar cenários futuros pode ser uma das dificuldades para quem deseja ficar rico. Isso porque o imediatismo que envolve os prazos curtos — como uma viagem — faz com que você deixe de lado objetivos do futuro — como uma boa aposentadoria —, sem construir nada significante no presente.

Por isso, faça investimentos. O futuro não está assim tão longe: quando menos se espera, ele nos alcança. Para a aposentadoria, por exemplo, se investirmos a longo prazo, com o tempo as parcelas mensais reduzirão. Há, ainda, planos de ações que rendem mais, se forem pensados para prazos extensos. Pesquise a respeito disso e invista!

10. Não fazer uma reserva de emergência para investimentos

Quer investir, mas não sabe por onde começar? O primeiro passo deve ser fazer uma reserva de emergência. Manter uma poupança, por exemplo, ajudará em ocasiões difíceis que podem surgir de surpresa em sua vida — de gastos hospitalares à perda de emprego.

Lembre-se de que ela deve ter, pelo menos, seis meses da sua renda mensal. A reserva te ajudará a evitar o endividamento — com ela, seu patrimônio não será comprometido e você poderá continuar construindo a sua renda futura.

11. Não investir porque não sobra dinheiro

Não faça isso! Sua estratégia deve ser focar no investimento e ajustar seus gastos para que, assim que receber o seu salário, aplicar a quantia necessária. Gastar mais do que se ganha é sinal de descontrole.

Seu padrão de vida deve estar dentro da sua realidade financeira. Lembre-se de que é preciso poupar, pelo menos, 10% de sua renda para investimentos.

12. Ser eufórico e impaciente

Euforia e impaciência andam de mãos dadas com o pensamento a curto prazo. Não acredite nas palavras de analistas que fazem gráficos assegurando que você ganhará milhões de um dia para o outro se aplicar na Bolsa de Valores, por exemplo.

Esteja atento à economia do país. Busque o melhor momento, não se precipite. Tenha paciência: se você já buscou todas as formas corretas, analisou o melhor momento para fazer seu investimento, mas seu rendimento ainda não está como esperava, não adianta atropelar os processos.

13. Não focar em resultados

Tempo de vida é algo caro — não existe possibilidade de alteração. É importante, portanto, focar na produtividade nos seus afazeres, porque assim os resultados virão. O primeiro passo é a organização no trabalho. Ser desleixado e sem foco atrasa seu bom desempenho no emprego.

Com melhor organização de tarefas e metas, você produzirá mais — e ainda sobrará mais tempo para você mesmo. O prejuízo de enrolar no trabalho não é somente do seu patrão, também é seu. Não distancie as chances de ter um aumento ou um cargo melhor no seu emprego.

Dedique tempo extra para aprender uma nova atividade, algo que sirva para melhorar ainda mais sua posição e performance, de forma que a sua reputação seja sempre boa e que a sua carreira possa decolar.

14. Pensar com ganância

O vício em ganhar mais dinheiro pode afastar você de outras coisas importantes na vida. Apegar-se aos bens e afastar-se das pessoas queridas, contudo, não é ter prosperidade. Perder o controle emocional com cada centavo perdido não é qualidade de vida. A ganância pode nos tornar escravos do dinheiro.

Uma coisa é ambição, trabalhar com metas realistas, de forma consciente. Outra coisa é desejar ser a pessoa mais rica do mundo agindo sem vigilância e preparo. Desconfie de esquemas rápidos para enriquecer: os golpistas se aproveitam daqueles sentimentos de cobiça das pessoas para aplicar fraudes e levar os outros à falência.

15. Satanizar o dinheiro

O dinheiro não é seu inimigo. Afaste-se das crenças limitantes, que veem o dinheiro como algo sujo e do pensamento que enriquecer só é possível “fazendo coisa errada”. Você precisa do dinheiro, tanto quanto precisa de água. Da mesma forma, é preciso economizar e consumir de forma inteligente aqueles recursos, se quiser ter mais no futuro.

16. Não consumir de forma inteligente

Não devemos “viver o momento” e consumir desordenadamente como se este dia em que se vive fosse o último. O consumo de forma pensada faz com que seu dinheiro renda mais. Seguir tendências atrapalha seu caminho.

Você realmente precisa gastar tanto adquirindo um novo computador, do último modelo? Qual tipo de despesa é mais importante dentro da sua carreira? Planeje-se antes de gastar; pense e analise com cuidado para evitar os supérfluos.

17. Não falar sobre as finanças com o parceiro

Esconder o que acontece do seu cônjuge é um erro comum — os problemas tendem a aparecer para o outro quando já estão fora do controle. A escolha de viver a dois deve ser muito mais sobre partilhar do que deter a “posse” de determinadas questões para si.

Os diálogos sobre as questões financeiras devem estar presentes desde o início da relação, assim como a consideração com o dinheiro e sobre poupá-lo. Assim o casal pode traçar um futuro em conjunto, definindo seus objetivos.

Divida as tarefas a fim de que ambos cuidem das finanças. Dessa forma, o desgaste é evitado — se surgirem problemas, os dois estarão unidos para enfrentá-los.

18. Deixar de ser você mesmo

Não se contente com pouco. No final de sua vida, você será o único responsável pela forma como usou ou não seus dons. Ficar rico é uma das ferramentas que lhe permite ser você mesmo.

Esteja em paz com suas finanças. Se dinheiro não traz felicidade, a carência dele pode trazer uma série de pesares e momentos ruins, como tristeza e estresse. Isso afeta sua saúde e produtividade. Busque, portanto, uma vida financeira saudável!

O que achou deste post? Deixe o seu comentário!

Seja o primeiro a receber o conteúdo da Messem Educação e assine o nosso Newsletter, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais:

banner-barra-artigo-2017-03-conhece-a-messem

banner-barra-ebook-2017-01