No atual cenário político brasileiro, é possível perceber a existência de propostas de reformas tramitando no Congresso. Elas tratam de assuntos muitas vezes complexos e que influenciam diretamente na saúde financeira do país e também no bolso dos trabalhadores. É o caso da reforma da previdência, por exemplo, que vem deixando os brasileiros apreensivos e à procura de uma alternativa diferente de garantir um investimento para aposentadoria.

Se você está à procura de investimentos com bons retornos para garantir uma aposentadoria sólida, este artigo foi feito para você. Nele, vamos informá-lo sobre algumas aplicações que podem ser boas alternativas para sua aposentadoria. Além disso, vamos explicar o funcionamento de cada uma, assim como suas vantagens e desvantagens. Ficou interessado? Continue lendo e descubra quais são essas aplicações!

Tesouro IPCA+

Os títulos públicos são emitidos pelo governo federal a fim de financiar sua dívida. Ou seja, ao comprar um título público, o investidor está emprestando seu dinheiro ao governo em troca de uma rentabilidade. É considerado um dos investimentos mais seguros. O governo é o credor mais confiável do mercado e, portanto, é bastante improvável a chance de calote por parte dele, mesmo em momentos de crise e instabilidade econômica.

O Tesouro IPCA+ faz parte de um leque de opções de títulos públicos oferecidos pelo Tesouro Nacional. Esse título rende uma taxa fixa que é estabelecida no momento de compra do título. Atualmente, essa taxa gira em torno de 5% ao ano. Além da taxa fixa, ele rende a variação da inflação medida pelo IPCA.

Portanto, suas vantagens vão além do baixo risco de calote. Comprando esse título, seu dinheiro está protegido da inflação. Você não perde poder de compra, independentemente do aumento dos preços durante o período. Além disso, o valor inicial da aplicação é baixo (títulos disponíveis a R$ 30) e existem papéis com vencimento até para 2050, o que ajuda o investidor que tem como objetivo a aposentadoria.

Pelo fato de ser um título prefixado, o preço pode sofrer oscilações e causar perdas em caso de vendas antes do prazo de vencimento. Além disso, podem ser descritas como desvantagens do Tesouro IPCA+ a cobrança de taxas de custódia e administração por parte das corretoras, além de existir, também, dedução de Imposto de Renda. Entretanto, a cobrança de IR é regressiva e a alíquota reduz com o tempo de espera.

Previdência privada

Hoje, existem dois tipos de previdência: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Para quem faz declaração completa de Imposto de Renda o plano mais indicado é o PGBL. Nele, você tem um desconto de 12% sobre o valor total no qual o imposto será tributado. Por exemplo, se recebeu R$ 100 mil, a alíquota do IR será calculada apenas sobre R$ 88 mil.

Se você é adepto das declarações simplificadas, a modalidade VGBL é a melhor opção. Nela, o imposto incide sobre o rendimento da aplicação, e não sobre o valor total. Portanto, a tributação só ocorre no momento em que o resgate for realizado.

As desvantagens de adquirir uma previdência ficam por conta das altas taxas cobradas pelas instituições e da baixa liquidez oferecida. Retirar o dinheiro investido antes do prazo estipulado pode representar uma perda enorme. Portanto, se você precisa de liquidez, procure outras opções mais adequadas às suas necessidades.

Debêntures incentivadas

As debêntures incentivadas são títulos privados emitidos por empresas de sociedades anônimas. Essas empresas fazem uso do recurso captado com a venda desses títulos para financiarem seus projetos de infraestrutura. São considerados projetos de infraestrutura: aeroportos, hidrelétricas, rodovias, etc.

De modo geral, é um investimento que tem como característica o prazo de vencimento mais longo, em torno de cinco a dez anos. O título paga uma taxa de juros ao ano, além de acompanhar a variação da inflação (IPCA). Nesse ponto, é bem similar ao Tesouro IPCA+.

Indiscutivelmente, sua maior vantagem é a isenção do Imposto de Renda. Em 2011, foi criada a lei que tem como objetivo oferecer uma alternativa para as empresas captarem recursos para financiar obras de infraestrutura. Como o próprio nome diz, essa debênture é incentivada pela isenção do IR para pessoa física, se tornando assim, um papel bastante atrativo para os investidores.

A dificuldade em vender os papéis antes do prazo de vencimento e a chance de calote por parte das empresas chama atenção quando se trata das desvantagens desse tipo de investimento. Portanto, é recomendado que você estude a situação financeira da empresa emitente do título e, mais ainda, faça uma análise do projeto que a companhia pretende realizar e se ele realmente é viável. Assim, diminui os riscos ao adquirir uma debênture incentivada.

Ações

O investimento em ações, desde que seja feito com um certo estudo e cautela, também pode se tornar um bom investimento para aposentadoria. A característica mais marcante do mercado de ações brasileiro é a volatilidade. E você pode usá-la a seu favor.

Para construir uma “carteira previdenciária” de ações que garantam a você uma boa aposentadoria, não basta muita coisa. Concentre-se nas ações de empresas sólidas, que tenham um histórico positivo e paguem bons dividendos. Ao formar sua carteira, o objetivo não deve ser lucrar com a volatilidade dos preços, e sim com os dividendos.

Assim como outros investimentos, investir em ações também tem suas desvantagens. Para comprar ações na bolsa é necessária uma conta em alguma corretora. Além disso, cada operação de compra e venda tem um custo e esse é um mercado considerado arriscado devido à volatilidade dos preços.

LCIs

As LCIs são as Letras de Crédito Imobiliário, títulos emitidos por bancos com o objetivo de levantar os recursos para financiar empreendimentos imobiliários. Elas pagam um determinado percentual do CDI. Entretanto, para você investir, é necessária uma quantia inicial de dinheiro maior.

As LCIs contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito até R$ 250 mil e a isenção do Imposto de Renda, o que são vistos como vantagens para um investimento. Entretanto, há rumores de que, em 2018, o governo brasileiro pretende acabar com a isenção de IR para pessoas físicas nessa aplicação, a fim de aumentar a arrecadação. Portanto, fique de olho nisso!

O melhor investimento para aposentadoria

Programar sua aposentadoria, exige, acima de tudo, um estudo prévio sobre as opções oferecidas no mercado e bastante disciplina financeira. Lembre-se sempre de que a melhor forma de investimento é aquela que melhor se encaixa com seu perfil de investidor.

Essas foram as nossas dicas de investimento para aposentadoria do artigo de hoje. Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário! Ficaremos felizes em ajudá-lo!

Gostou desse post? Assine a nossa newsletter e tenha acesso a muito mais conteúdos interessantes como este diretamente em seu e-mail!

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais: