Cuidar das finanças pessoais e encontrar a melhor maneira de guardar dinheiro e investi-lo pode ser um pouco trabalhoso no início. Hoje em dia, as opções de investimento vão muito além da poupança e é necessário conhecer quais são elas para que seja possível traçar a estratégia mais adequada a cada situação.

Antes de investir, guardar dinheiro também pode ser difícil. Para isso, existem algumas boas práticas que ajudam a economizar e a fazer com que o seu capital renda rapidamente.

Como cuidar dos gastos do cartão de crédito e fazer os pagamentos à vista, para ter mais possibilidades de negociação. O objetivo deste post é orientá-lo sobre duas etapas fundamentais para começar a investir: guardar dinheiro e planejar o investimento. Por isso, daremos dicas de como definir objetivos, traçar uma estratégia e executá-la, alocando os ativos em investimentos adequados às metas.

Quer guardar dinheiro e começar a investir? Confira as nossas 12 dicas!

Saber quais são as suas metas

É possível guardar dinheiro sem ter um objetivo em mente, algo que se deseja fazer com ele em um futuro a médio ou longo prazo. Mas esse processo será mais fácil se houver uma meta.

Isso porque, se você sabe onde chegar, terá isso em mente quando deixar de comprar algo supérfluo, porque sabe que existe um objetivo maior. Em resumo, ter uma meta ajuda a ter foco e disciplina na hora de guardar dinheiro.

Além disso, planejar seu investimento será mais fácil se você souber o que quer fazer com o seu dinheiro futuramente. Você pode traçar um objetivo a médio e outro a longo prazo. Por exemplo: comprar um carro e uma casa.

Fazer os cálculos

Antes de começar a guardar dinheiro para investir, você precisa saber como estão suas finanças pessoais. Você tem uma renda fixa ou seus rendimentos são sazonais?

Sabe quanto gasta com moradia, alimentação, saúde, diversão, estudos e viagens? Se conseguir colocar tudo isso no papel, fica mais fácil saber quanto conseguirá poupar e, consequentemente, o tempo aproximado para atingir sua meta.

Use uma planilha ou algum software que ajude a colocar essa etapa em prática, pois ela é muito importante. Não adianta guardar uma quantidade grande de dinheiro se ela fará falta depois de uns meses, pois corre-se o perigo de ter que voltar à estaca zero. É mais saudável e seguro poupar aquilo que a sua situação permite no momento.

Economizar

Você deve conhecer muita gente que fica só na intenção de guardar dinheiro e nunca consegue, de fato, economizar. Porque sempre aparece uma lista de desejos que oferecem um prazer imediato.

Por isso as etapas anteriores são tão importantes! Com as metas estabelecidas e os cálculos feitos, é hora de colocar o plano em prática.

Quando existe um planejamento e metas, você sabe que está poupando por um motivo que fará a diferença no futuro. Aprender a economizar pode fazer diferença no montante que será investido. Para isso, é possível que você tenha que abrir mão de algumas coisas em prol do seu objetivo maior.

Pesquisar antes de comprar

Uma dica de ouro na hora de economizar é pesquisar bem pelos melhores preços. Essa atitude vale para todos os momentos, desde a ida ao supermercado até na hora de fechar o contrato com a operadora de celular.

Com a internet ficou ainda mais fácil comparar preços. Você entra no site das empresas e verifica em qual estabelecimento o produto que você deseja está mais barato. Por mais simples que essa regrinha seja, muita gente, na hora do impulso, acaba comprando o mesmo produto por um preço mais alto. Dessa forma, avalie antes e escolha a melhor opção.

Pagar à vista e pedir desconto

Pagar parcelado pode ser uma vantagem em alguns casos. Mas na maioria das vezes, fazer uma boa pesquisa, encontrar o melhor preço e pagar à vista é mais vantajoso.

Além de fugir dos juros, isso aumenta a possibilidade de negociações. Muitas vezes, pagar à vista dá margem para negociar um preço mais baixo.

Você ainda fica livre de parcelas. Além disso, quando você decide só pagar à vista, acaba evitando as compras por impulso, parceladas e avalia melhor se há realmente a necessidade da compra.

Ficar de olho no cartão de crédito

Tem gente que tem um limite altíssimo do cartão de crédito e não percebe que ele não condiz com a sua capacidade de pagamento. O cartão de crédito é uma ferramenta interessante para alguns tipos de compras!

Abusar do seu uso pode comprometer bastante o salário e render juros altíssimos. Também não é necessário ter vários cartões. Ter só um ajuda a controlar os gastos e, portanto, é um aliado para guardar dinheiro.

Liquidar as dívidas

Quem quer juntar dinheiro tem que aprender a controlar as dívidas. Isso porque dívidas e parcelamentos intermináveis correspondem a juros, comprometendo seu orçamento. 

Rotativo do cartão de crédito, cheque especial, financiamentos e empréstimos são dívidas que devem ser priorizadas. Quanto mais alto o valor da dívida, mais rápido você precisa liquidá-la — para se livrar dos juros e ter mais dinheiro para guardar / investir. 

Pesquisar e conhecer investimentos

Você já guardou dinheiro e quer investir para ter um bom rendimento. Depois de passar pelas etapas anteriores: definir os objetivos, calcular, economizar, pagar à vista, liquidar as dívidas e cuidar com o cartão de crédito, é hora de pesquisar as melhores formas de investimento.

A poupança é um bom começo, pois ajuda a guardar dinheiro em quantidade suficiente para conseguir investir em algo mais interessante e rentável. Porém, deixar o capital na poupança por um longo período não traz resultados muito interessantes.

Além da poupança, outros tipos de investimentos podem ser pesquisados, como a compra de títulos públicos via Tesouro Direto, o investimento em ações na bolsa de valores ou até a aplicação no mercado imobiliário. Outras modalidades de investimento, como a previdência privada, também podem ser consideradas. O importante é que você pesquise e estude bem onde está colocando seu dinheiro.

banner-artigo-teste-investidor

Planejar e investir

Depois de pesquisar, é hora de planejar e traçar estratégias de investimento. Um planejamento bem-feito influencia no processo, trazendo resultados melhores do que apenas colocar o dinheiro em qualquer investimento. O futuro investidor precisa ter conhecimento sobre as possibilidades e opções de cada mercado.

O planejamento deve levar em conta duas variáveis importantes: o perfil do investidor e o tempo. Você precisa, portanto, conhecer o seu perfil, ter em mente os objetivos e em quanto tempo gostaria de realizá-los.

Quanto ao perfil de investidor, podemos separá-los em 3 classificações: os conservadores, os moderados e os agressivos. Como os nomes indicam, esses perfis representam a intenção do investidor em aplicar seu dinheiro diante de investimentos de baixo, médio e alto riscos. 

Já o fator tempo deve ser considerado da seguinte forma: quando eu quero resgatar o dinheiro investido? Se for em curto prazo, a poupança é mais indicada. No médio prazo, as ações na bolsa e os títulos públicos são boas opções. Já em longo prazo, a previdência privada ou o mercado imobiliário são estratégias recomendadas.

Reinvestir

Uma dica preciosa para quem está começando a investir é saber que, para aumentar a rentabilidade é preciso reinvestir. Em outras palavras: a renda oriunda dos investimentos deve ser reaplicada. Por isso, é bom que se resista à tentação de pegar o dinheiro do investimento assim que ele começa a aumentar.

Quando você compra os títulos públicos via Tesouro Direito, por exemplo, é possível, no vencimento do título, usar o dinheiro para comprar novos fundos. Com isso, sua renda aumenta em médio e longo prazos. 

Diversificar os investimentos

Para o investidor iniciante, é mais difícil saber diversificar seus investimentos e, muitas vezes, acaba direcionando seu dinheiro apenas para um tipo de aplicação.

Porém, o ideal é que o investidor possua aplicações em diferentes lugares. Por exemplo, tenha uma poupança, títulos públicos e contribua na previdência privada. Isso agrega muito mais segurança e estabilidade financeira — no presente e no futuro.

O mesmo vale para aqueles que optam por investir em ações, que devem diversificar a compra de papéis, inclusive em negócios com ramos de atuação variados. Caso a instituição vá a falência ou o setor econômico entre em crise, o bolso do investidor não sofre tantas perdas. 

Encontrar bons profissionais da área

Sem compreender o mercado, ele pode acabar perdendo boas oportunidades. Por isso, é interessante contar com a ajuda de profissionais na hora de pesquisar e planejar.

A assessoria em investimentos dará a segurança necessária para saber quando e onde investir, para que você tenha o rendimento desejado e de acordo com o seu perfil e com suas metas. Guardar dinheiro é um ótimo começo para, futuramente, ter uma quantidade suficiente para investir e garantir um rendimento interessante.

Mas para isso, é necessário seguir algumas etapas para que esse processo seja correto e rentável. As etapas podem ser resumidas em economizar, poupar e investir. Todo esse processo de investimento pode se tornar mais fácil se você contar com a ajuda de uma assessoria, que indicará qual é a melhor solução de investimento para o seu perfil. 

O que achou do artigo? Foi útil para entender como guardar dinheiro e investi-lo de maneira planejada?

Restou alguma dúvida ou gostaria de dar uma sugestão? Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a receber o conteúdo da Messem Educação e assine o nosso Newsletter, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais:

banner-barra-artigo-2017-03-conhece-a-messem

banner-barra-ebook-2017-01