A palavra “economizar” é erroneamente associada a grandes quantias. Para jovens em início de carreira, pessoas com uma renda mais baixa ou que assumem sozinhas as despesas familiares, se torna difícil pensar em juntar dinheiro ou fazer investimentos que sejam lucrativos no futuro.

Mas nós garantimos que com organização e planejamento é possível ter uma reserva financeira para realizar os seus sonhos. Você não precisa comprometer 10% do seu salário, como indicam muitos economistas, nem deixar de pagar as contas. O melhor caminho é evitar cometer alguns erros. Quer saber quais são? Confira o nosso post!

Não ter um planejamento financeiro

Essa dica é uma das mais comuns dos especialistas em economia. E não é à toa: ter um bom planejamento financeiro é essencial para quem deseja juntar dinheiro. E você não precisa recorrer a uma consultoria financeira para isso.

Algumas atitudes simples como comparar o preço de produtos antes das compras, criar planilhas orçamentárias, pedir descontos em lojas, fazer um controle mensal de gastos, revisá-los para evitar comprar muito mais do que o necessário e dividir os gastos por categorias como alimentação, transporte, lazer e contas a pagar, já te ajudarão a montar um planejamento financeiro eficiente de acordo com os seus objetivos.

Não controlar os gastos pequenos

Uma das principais etapas do planejamento financeiro é saber para onde vai o seu dinheiro. Controlar os gastos vai desde a compra de coisas pequenas, como um cafezinho, até as mais relevantes como o financiamento de um carro, mensalidade da escola dos filhos ou o valor da última fatura do seu cartão.

Nós sabemos o quanto é difícil anotar tudo o que você gasta diariamente, mas para isso serve a tecnologia: facilitar a sua vida. Aplicativos como o Guia Bolso, Money Care, Minhas Economias e Moni ajudam a monitorar gastos em tempo real, já que são vinculados a contas bancárias e cartões de crédito. Ou seja, todas as suas compras são organizadas automaticamente em planilhas.

Esse tipo de controle ajuda a criar uma visão clara sobre gastos desnecessários e como a compra de coisas que parecem irrelevantes pode afetar o seu orçamento no fim do mês.

Comprometer a renda com financiamentos

Ter uma casa própria ou um carro novo é o sonho de qualquer brasileiro e uma das formas mais comuns de realizá-los é através dos financiamentos.

Mesmo com boas oportunidades no mercado, esse tipo de dívida pode ser uma armadilha para quem precisa juntar dinheiro, já que compromete boa parte da renda durante alguns anos. Não é incomum encontrar pessoas que passam o resto da vida com pelo menos 30% do salário destinado ao pagamento de financiamentos que fizeram ainda jovens. 

Se você precisa juntar dinheiro para outras oportunidades como viajar, investir no seu negócio ou em uma formação, o ideal é que você amadureça a ideia de fazer um financiamento em opções mais viáveis ou economize durante algum tempo.

Essa estratégia te ajudará a dar uma entrada maior para a compra do que você sonha e, consequentemente, a diminuir o número de parcelas que você terá que pagar no seu financiamento.

Não criar metas claras para juntar dinheiro

Muitas pessoas não conseguem juntar dinheiro porque não possuem um objetivo bem definido. Se você não sabe para que está economizando fica mais fácil cair em tentações e fazer gastos desnecessários. Por exemplo: se todas as suas contas estão em dia, o que te impede de gastar aquele dinheirinho extra em uma roupa nova ou em um almoço naquele restaurante que você sempre quis ir?

Para se manter motivado estabeleça uma meta e visualize como poderá alcançá-la. Ela pode ser a curto prazo, como uma viagem de férias com a família, ou algo a longo prazo, como expandir o alcance da sua empresa e até mesmo ter uma aposentadoria tranquila. Essa meta servirá como uma bússola que te ajudará a definir o caminho para realizar os seus sonhos e a melhorar o seu comportamento como consumidor.

Viver parcelando compras no cartão

O cartão de crédito é um dos principais vilões para quem está economizando. Mesmo parecendo uma alternativa que facilita a vida, muitas pessoas perdem o controle quando estão com um cartão em mãos.

Quando se fala em parcelamento, muitas vezes o barato pode sair caro. Além de comprometer o orçamento durante vários meses, essas compras vêm acompanhadas de juros e taxas que aumentam substancialmente o seu valor. Por isso, comece a ser mais amigo do débito nos gastos do dia a dia e reserve o seu cartão para gastos maiores que são realmente necessários nesse momento da sua vida.

Investir sem medir os riscos

Muitas pessoas se empolgam com a ideia de investir o dinheiro em promessas de retorno fácil ou em oportunidades que parecem promissoras, mas não analisam os riscos reais desses investimentos. O mercado está cheio de aproveitadores e esquemas de pirâmides que podem levar embora todas as suas finanças e criar problemas até mesmo com a justiça.

Quando se fala em dinheiro, “cautela” é a palavra de ouro. Por isso aproveite o maior acesso à informação trazida pela internet, livros e veículos de comunicação, para pesquisar as melhores formas de investir o seu dinheiro e ter um retorno realista desse investimento no futuro.

Não mudar os hábitos de consumo

Não adianta sonhar com uma poupança recheada no fim do ano, se você continua comprando desenfreadamente, dizendo “sim” para todos os convites para jantar fora e tomar aquela cervejinha no final de semana, ou dando aquela passadinha no shopping todos os dias depois do trabalho.

Você não precisa comprometer o que é essencial para o seu bem-estar ou abdicar dos momentos de lazer, mas é importante ter em mente que juntar dinheiro exige uma mudança de hábitos.

Gastar mais do que ganha, viver pagando faturas de cartão, depender de empréstimos para fechar as contas, e entrar no limite do banco todos os meses são atitudes que aumentam despesas e te deixam um passo mais distante de juntar dinheiro e também do seu sonho.

E então, curtiu as nossas dicas? Não deixe de compartilhar esse artigo nas redes sociais para que os seus amigos também curtam!