Quem está em busca de uma boa rentabilidade para suas aplicações financeiras frequentemente se questiona sobre opções de investimento. A resposta é simples: depende da necessidade de resgate imediato.

A atual situação econômica do Brasil, com alta dos juros, tem valorizado os investimentos no curto prazo, uma alternativa atrativa, com rápida liquidez, que possibilita ao investidor sacar o valor aplicado caso precise do recurso por algum motivo. 

Em meio a uma situação desfavorável na economia, muitos brasileiros que têm dinheiro e querem investir procuram um meio seguro e de baixo risco para realizar uma aplicação, em vez de deixar o dinheiro parado sem render juros, que não é uma boa escolha.

Quer saber qual é o melhor investimento para o seu dinheiro no curto prazo? Confira algumas dicas que podem ajudar você na hora de investir:

Poupança

Entre todas as possibilidades de investimento, a poupança, uma das alternativas mais conhecidas e populares entre os brasileiros, só pode ser considerada uma boa opção pela capacidade de resgate imediato, simplicidade de operação e possibilidade de transferir o valor sempre que quiser, sem ter que esperar uma data específica. Fora isso, a taxa de rendimento pode não compensar nem no prazo curtíssimo. Muitos especialistas, inclusive, não chegam a considerar a caderneta de poupança como um investimento e, sim, como uma reserva de dinheiro para emergências.

A grande desvantagem desta opção é fazer com que os rendimentos da poupança consigam ultrapassar a inflação do mesmo período.  Com o dinheiro valendo menos, o rendimento do valor aplicado na poupança não vai ser capaz de suprir a alta dos preços. Ou seja, quem deixa qualquer quantia parada na caderneta pode estar perdendo dinheiro. 

Em  resumo: a poupança é uma opção que só vale a pena para quem não busca rentabilidade e quer deixar o dinheiro guardado por determinado período de tempo, para motivos específicos, como uma viagem ou pagamento de um conta.

Tesouro Direto

Este programa funciona pela internet com a negociação de títulos públicos. Para quem vai investir, é uma boa opção de baixo investimento e , além disso, é seguro: os títulos públicos podem ser considerados os que oferecem menor risco em uma economia.

Para começar, você se cadastra no site do Tesouro Direto e abre uma conta em uma corretora de valores. Um investidor que compra um título com resgate em 2020 não precisa aguardar até lá para sacar o seu dinheiro de volta.

O Tesouro Nacional recompensa os papéis em poder do investidor todos os dias. Portanto, a liquidez é diária.

Outra vantagem é o os custos do Tesouro Direto que costumam ser mais baixos que os fundos de renda fixa e do DI. Mas, assim como em qualquer tipo de investimento de renda fixa sem isenção, sobre os rendimentos do Tesouro Direto também são cobrados impostos, que variam conforme o tempo de aplicação.  Quando o prazo de aplicação for menor que 30 dias é cobrado apenas o Imposto sobre Operações Financeiras.

Tesouro Selic

Já o Imposto de Renda é sempre obrigatório. O único título do Tesouro Direto com baixíssimo risco de mercado é o Tesouro Selic, que paga um rendimento equivalente a Selic, que equivale a uma taxa básica da economia brasileira. Ideal para quem quer resgatar em menos de 12 meses.

Letras de Crédito Imobiliário (LCI)

As LCI são títulos oferecidos pelos bancos aos seus clientes como incentivo ao financiamento imobiliário. As taxas de juros variam conforme a quantidade de pessoas que estão investindo nestes tipos de crédito. Isso porque o funcionamento envolve os investidores, que colocarão o seu dinheiro neste modelo de renda fixa de baixo risco e, os devedores, que pagarão o financiamento com juros, sendo o banco o ‘mediador‘ nesta relação. Sendo um investimento de curto prazo, o Governo Federal vem incentivando as LCI pela isenção de cobrança do Imposto de Renda – tanto de quem contrata quanto de quem investe nesse tipo de financiamento.

Assim como a caderneta de poupança, as LCI são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250 mil. Ou seja, se o banco que emitiu o título quebrar, você recebe o que investiu até este valor. Para quem deseja investir mais do que R$ 250 mil em LCI, o ideal é optar pela aplicação em em títulos de instituições financeiras diferentes. Assim, você aumenta a segurança de que terá um retorno mais elevado.

Letras de Crédito Agrário (LCA)

Similares às LCI, as LCA são títulos oferecidos por bancos que são garantidos pelos empréstimos dados ao setor de agronegócio. Criadas com o objetivo de ampliar os recursos do financiamento agropecuário, as LCA tem rentabilidade definida por taxa de juros que pode ser pré ou pós-fixada. A diferença é que, na primeira opção, o investidor sabe a remuneração que receberá ao comprar o título.

Ao preferir investir em um título pós-fixado, a rentabilidade, em geral, é baseada em percentual do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Como o CDI tem variação próxima à Selic, quanto mais alta estiver a taxa básica de juros, maior será a rentabilidade do título adquirido.

Assim como no caso das LCI, as LCA são isentas do Imposto de Renda  e garantidas pelo FGC até o limite de R$ 250 mil, o que representa uma segurança a mais para o investidor. Por outro lado, as letras de crédito costumam ter um tempo de carência. Essa característica pode ser um impeditivo para quem deseja investir dinheiro no curto prazo. Tendo isso em mente, fique atento e cheque quando você pode retirar o dinheiro que aplicou sem ter perdas.

Apesar do tempo de carência ser uma característica que pode tornar as letras de crédito uma opção não tão boa para quem quer investir no curto prazo, por outro lado, a rentabilidade é um ponto a favor. É possível encontrar em corretoras LCA e LCI que chegam a pagar 90% do CDI com apenas um ano de investimento. Isso já garantiria um rendimento mais competitivo do que o da caderneta de poupança. Um ponto de atenção é que as corretoras pedem uma aplicação mínima que, em geral, é de R$ 10 mil.

Como investidor, tenha em mente que não há absolutamente nenhuma diferença entre investir em LCI ou LCA. A única coisa que muda é o lastro do papel. 

Certificados de Depósitos Bancários (CDB)

Esta é uma outra forma de investimento seguro para quem quer manter o dinheiro aplicado por pelo menos 180 dias. O ideal é que o investidor procure um banco que pague mais de 100% do CDI – o que vai valer bem mais a pena o CDB.

Mas geralmente, os grandes bancos só começam a pagar mais de 100% do CDI para investimentos com liquidez acima de 3 anos. Com isso, o ideal é procurar bancos médios para aplicar o valor por menos tempo com uma remuneração maior. Leia também: Vale a pena investir em ações no exterior?

A partir do trigésimo dia de aplicação, você não paga Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) caso precise fazer resgates de CDB. No entanto, é importante ficar atento porque, nessa modalidade de investimento, há cobrança de Imposto de Renda, o que não acontece em aplicações em LCI e LCA. O IR é cobrado sobre o rendimento dos CDB, com tabela regressiva de 22,5% a 15%.

Para saber como investir dinheiro no curto prazo, é essencial não deixar de avaliar a segurança dos investimentos e, ainda, a rentabilidade deles. Como o período em que a quantia ficará aplicada será relativamente curto — no máximo, dois anos — o ideal é procurar opções mais conservadoras para reduzir os riscos de ter qualquer perda.

Para ter certeza que está tomando a decisão mais acertada, não deixe de comparar os prós e contras de cada tipo de investimento: poupança, Tesouro Direto, LCI, LCA e CDB. A primeira opção peca em termos de rentabilidade. Por outro lado, é simples de operar. O Tesouro Direto tem conquistado muitos pequenos investidores por ser não exigir um alto investimento inicial, ter taxa de juros competitiva e, ainda, permitir compra e venda pela internet. Apesar de das vantagens, antes de se decidir pela opção, é preciso considerar pontos como taxa de custódia paga para BM&F Bovespa e uma possível taxa de administração cobrada pela corretora, que podem acabar comprometendo a rentabilidade em investimentos de curto prazo. Além disso, há incidência de IR

As LCA e LCI também devem ser consideradas, mas é importante ter atenção ao tempo de carência exigido para retirada do dinheiro. Por fim, os CDB podem ser considerados. Muitos têm liquidez diária, mas, por outro lado, podem exigir que o valor mínimo a ser investido esteja além do que você deseja aplicar na modalidade, podendo ultrapassar R$ 25 mil. 

Para saber como começar a juntar dinheiro para investir, não deixe de acessar este post do blog.

Você está analisando as opções de investimento em curto prazo? Tem dúvidas e gostaria de auxílio? Faça contato conosco ou deixe um comentário!

Seja o primeiro a receber o conteúdo da Messem Educação e assine o nosso Newsletter, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Seja o primeiro a receber o conteúdo da Messem Educação e assine o nosso Newsletter, preenchendo seus dados nos campos abaixo:

Nome:

Seu e-mail:


mobile-banking