Então, finalmente sobrou aquele dinheirinho no final do mês e você não tem ideia se guarda ou se gasta? Sabemos que lidar com dinheiro é sempre uma coisa complicada. Com pouco então, a tendência é você gastá-lo com coisas supérfluas, porque a ideia de investir nem passa pela sua cabeça. Contudo, investir com pouco dinheiro não é nenhum bicho de sete cabeças.

Existem muitos investimentos que se adéquam muito bem a poucas quantias e ainda trazem um bom retorno. Mas, antes de começar, fique atento, pois há alguns passos que precisam ser seguidos para evitar problemas. Que tal dar uma olhada em algumas dicas que separamos para você a seguir?

1. Cuide de suas dívidas

Pode parecer estranho, mas é bem comum que algumas pessoas comecem a investir mesmo com uma situação financeira complicada, com dívidas no cartão ou mesmo no cheque especial. Quer dizer, algumas até chegam a usar o dinheiro que poderia quitar essas dívidas em aplicações e, no fim, nunca resolvem sua situação.

Sabemos que com tantas facilidades para empréstimos, parcelamentos e outros serviços que estendem o pagamento, não se deixar seduzir e entrar em um mar de despesas é meio impossível, mas tê-las e querer investir não é a melhor estratégia. Por isso, livre-se das suas dívidas antes de começar a investir.

2. Pense em qual é o valor do dinheiro para você

Pode parecer uma pergunta óbvia, é claro que o dinheiro é uma coisa importante. Ganhá-lo, principalmente, é do interesse de qualquer um. Entretanto, quando colocamos esse questionamento queremos que você reflita sobre o porquê ele é importante para você.

Provavelmente, você nunca fez essa pergunta tão evidente, mas comece por ela e verá que a resposta pode te surpreender. Alguns podem dizer que com dinheiro conseguem mais liberdade ou ter uma vida confortável.

A partir do momento em que se tem definido qual o valor do dinheiro, os motivos para investir ficam mais claros. Quanto mais clareza você tiver sobre as suas expectativas financeiras, mais fácil será para você investir, mesmo com pouco.

3. Guarde dinheiro                     

Ter uma reserva financeira é um assunto recorrente e pode ser feita por diversos motivos, entretanto, nesse caso, guardar uma parte de seus ganhos é o primeiro passo antes de começar um investimento de longo prazo. Saber que você tem uma reserva te proporcionará uma segurança em relação às situações imprevisíveis da vida.

Imagine que você perdeu o seu emprego: como pagará as suas despesas e se manterá nos meses de procura de um novo trabalho? Com uma reserva você se sentirá mais tranquilo para seguir com os seus objetivos.

Mas, atenção, procure não deixar esse dinheiro parado, invista em renda fixa, pós-fixados, principalmente aqueles títulos que proporcionam liquidez diária. Outra questão é que a quantia guardada deve ser sempre maior que o dobro dos seus gastos mensais. Isso será essencial para manter você enquanto procura se estabelecer financeiramente.

4. Faça anotações

Bom, depois de passar por toda essa “reeducação financeira”, só falta uma coisa para começar a investir com pouco dinheiro: planejar como gastar o seu dinheiro!

Coloque em um papel suas expectativas a respeito do seu dinheiro. Se preferir, faça uma planilha no Excel ou use o Word mesmo. Não importa o meio, o ideal é que você escreva os seus objetivos e, principalmente, quais são os seus valores. Ter isso no papel te dará a segurança para saber para onde você está indo e o que precisá mudar para chegar lá mais rápido.

Agora, com os objetivos bem definidos, você já está mais do que pronto. 

5. Invista com pouco dinheiro em aplicações de curto prazo

No caso de aplicações de curto prazo, é aconselhável que se invista em ativos de renda fixa pós-fixada com liquidez diária. Tenha ideia que quando dizemos curto prazo estamos falando em uma estimativa de 1 dia ou até mesmo 1 ano.

O melhor tipo de investimento, nesse caso, é o Tesouro Direto. Nele é possível investir quantias de até 30 reais. Além disso, comprar um título é muito fácil e muito mais rentável do que ter uma poupança. Basicamente, em um Tesouro Direito você empresta dinheiro para o governo, que paga por isso com juros.

Por ser um investimento de renda fixa, é possível antecipar o quanto você receberá de remuneração, que geralmente é baseada na taxa Selic. Além do mais, o Tesouro Direto garante muito pouco risco de crédito e a liquidez é diária, por isso o investidor pode pegar o dinheiro de volta a qualquer momento.

6. Entenda o investimento a médio prazo

Entenda que investimentos de médio prazo devem levar em torno de 2 a 5 anos. Aqui você pode ir um pouco além e investir em outros tipos de títulos, como aqueles ligados à inflação ou mesmo os prefixados, como o LTN. Além desses títulos, os privados são uma boa opção, como os títulos em LCI, LCA e também o CDB.

No caso do CDB, o investidor vai emprestar dinheiro para o banco e é pago por isso. O banco usa esse dinheiro para empréstimos e também para lucrar. Entretanto, a instituição financeira reembolsa o investidor com um valor menor do que o que ela cobra nas taxas dos empréstimos.

O CDB, geralmente, é pós-fixado e está ligado à taxa DI ou CDI, que uma taxa próxima à Selic e as instituições costumam pagar um percentual. Fique atento que o rendimento dele pode ser o dobro da poupança, contudo, quanto menos se aplica nesse título, menos se rende.

7. Pense mais alto para investimentos de longo prazo

Com investimentos de longo prazo o ideal é que você procure por aplicações com renda variável. Ações e fundos imobiliários são a melhor opção para você, mas esses investimentos devem ser analisados para daqui a 3 ou 4 anos, principalmente quando se fala sobre ações de bolsa de valores, em que o retorno é muito imprevisível e, no caso de prazos mais longos, o lucro pode ser bem satisfatório.

Há duas formas de se investir em ações. Primeiro, por meio de um fundo de investimento, em que você e outros investidores entram em uma espécie de consórcio e montam uma carteira de ações administrada por um gestor.

Ou a segunda forma, que é pelos fundos de índice ou ETFs, fundos negociados na bolsa que usam índices como o da IBOVESPA para se espelhar. É a maneira mais barata para começar a usar ações e que garante bastante liquidez.

Agora no caso de fundos imobiliários para quem tem pouco dinheiro, o melhor meio é o de um fundo de fundos de investimento imobiliário. São fundos comuns que são negociados na bolsa, porém a carteira contém outros fundos imobiliários que também são negociados na bolsa. Essa é a melhor forma de investir neste caso.

E ai? Esperamos que com estas dicas você possa entender melhor como investir como pouco dinheiro e ainda obter um bom lucro para realizar os seus objetivos. Quer saber um pouco mais sobre o mundo dos negócios? Assine a nossa newsletter e não perca mais nenhuma novidade. 

 

Nome:

Seu e-mail:


 

Saiba mais: